O que você precisa saber sobre a síndrome mão-pé-boca




Momento delicado esse de troca de estação.

E o consultorio começa a receber crianças com pele e mucosas inflamadas, irritando os pequenos e nós, que ficamos perdidos sem saber como cuidar..tratar. É a doença (tambem chamada de Sindrome ) mão-pé-boca ,uma doença contagiosa causada pelo vírus Coxsackie, que habita no sistema digestivo e também pode provocar estomatite, espécie de afta que afeta a mucosa da boca.

Embora possa acometer adultos, são os pequenos até 5 anos de idade.

Como os pequenos costumam colocar as mãos e os brinquedos na boca e nem sempre têm o hábito de lavar as mãos depois de ir ao banheiro, o vírus se dissemina mais facilmente.


Como pegamos ?


A transmissão ocorre através do contato direto com a saliva, fezes e outras secreções, e também indiretamente por alimentos ou objetos contaminados. Para evitá-la, é importante manter a higiene: lavar sempre as mãos depois de ir ao banheiro e antes de comer ou de preparar refeições.


E os sintomas ?



  • Geralmente aparecem depois de 3 a 7 dias após a infecção pelo vírus e incluem:

  • Febre acima dos 38ºC;

  • Dor de garganta;

  • Dificuldade para engolir;

  • Muita salivação;

  • Vômito;

  • Mal-estar;

  • Diarréia;

  • Falta de apetite;

  • Dor de cabeça;

O aparecimento de manchas ou bolhas vermelhas nas mãos e nos pés e de aftas na boca 2 a 3 dias após o surgimento da febre.

O diagnóstico deve ser feito pelo pediatra ou clínico geral por meio da análise dos sintomas e das manchas.

Por causa de alguns sintomas, essa síndrome pode ser confundida com algumas doenças, como a herpangina, que é uma doença viral em que o bebê apresenta feridas na boca semelhante às feridas do herpes, e a escarlatina, em que a criança apresenta manchas vermelhas espalhadas pela pele. Por isso, o médico pode solicitar a realização de exames laboratoriais complementares para fechar o diagnóstico.


Como se transmite ?


A transmissão da síndrome mão-pé-boca ocorre através da tosse, espirros e saliva e do contato direto com bolhas que tenham estourado ou fezes infectadas, principalmente durante os primeiros 7 dias da doença, porém mesmo após a recuperação, o vírus ainda pode ser transmitido através das fezes durante cerca de 4 semanas. 

Além disso, o vírus pode ser transmitido através de objetos ou alimentos contaminados. Por isso, é importante lavar os alimentos antes do consumo, trocar a fralda do bebê com luva e depois lavar as mãos e lavar bem as mãos após usar o banheiro.


Como prevenir?


Como sua transmissão acontece pelo contato direto com outras crianças contaminadas com o vírus, o ambiente da escola torna-se ideal para a proliferação da síndrome, portanto o repouso e o aconchego do lar e da família é o melhor tratamento, pois a recuperação levará em torno de 7 a 10 dias.

Os pais que notarem os sintomas, devem levar seus filhos até a unidade de saúde mais próxima para uma avaliação.

Além disso, certas precauções podem ajudar a reduzir o risco de infecção com a doença mão-pé-boca:

  • Lavar as mãos com cuidado: Certifique-se de lavar as mãos com água e sabão frequentemente e com cuidado, especialmente depois de usar o banheiro ou trocar fraldas e antes de preparar a comida.

  • Desinfetar áreas comuns: Adquira o hábito de limpá-las com água e sabonete antissépttico e, em seguida, reforce com uma solução diluída de água sanitária e água clorada. As creches devem seguir um cronograma rigoroso de limpeza e desinfecção de todas as áreas comuns, incluindo itens compartilhados, como brinquedos, já que o vírus pode viver nesses objetos por dias. Lembre-se também de limpar as chupetas do seu bebê com frequência.

  • Ensinar bons hábitos de higiene: Mostre aos seus filhos como praticar uma boa higiene e como se manter limpo. Explique a eles por que é melhor não colocar os dedos, mãos ou qualquer outro objeto na boca.

  • Isolar pessoas contagiosas: Como a doença da mão-pé-boca é altamente contagiosa, as pessoas contaminadas devem limitar sua exposição enquanto apresentarem sinais e sintomas ativos. Mantenha as crianças fora da escola até que a febre desapareça e as feridas na boca tenham cicatrizado. Se você tiver a doença, trabalhe de casa ou peça uma licença temporária.

Quando é mais comum?


A mão-pé-boca pode surgir o ano todo, mas os casos aumentam ligeiramente no início do outono, quando a temperatura cai e tendemos a ficar em ambientes mais fechados. É por isso que salas de aula de escolas e creches são ambientes perfeitos para a proliferação do vírus, que é transmitido via secreções e contato físico.

Outro detalhe importante é, que por ser causada por mais de um tipo de vírus (os mais comuns são o coxsackie e o enterovírus), pegar a mão-pé-boca uma vez não é garantia de imunidade para o resto da vida; como acontece com gripes, pode acontecer da criança ter a doença múltiplas vezes.


Devo retira-lo da escola?


Sim. A recomendação é manter a criança doente em repouso em casa enquanto durarem os sintomas.

Como crianças pequenas tendem a colocar as mãos na boca e em seguida tocar brinquedos compartilhados com os coleguinhas, o vírus vai se espalhar pela classe inteira.


Cuidados durante a doença?


A mão-pé-boca não tem um tratamento específico. Apenas os sintomas são tratados, com analgésicos, antitérmicos e em alguns casos, anti-inflamatórios.

Porém devem ser evitados..pois a FEBRE é inibida quando usamos estes medicamentos.. e como o preocesso Viral..precisa de FEBRE para ser impedida de progredir.

Como a criança pode sentir dor na boca e na garganta, ela pode não querer comer ou beber, mas é importante evitar que ela desidrate.

Certos alimentos e bebidas podem irritar as bolhas na língua, boca ou garganta. Experimente estas dicas para ajudar a tornar a dor menos incômoda e a comer e beber melhor:

  • Ofereça para criança picolé ou geladinhos não cítricos (não exagere, claro);

  • Ofereça sorvete ou açaí;

  • Consumir bebidas geladas, como sucos não ácidos, chás e água;

  • Evitar alimentos e bebidas ácidas, como frutas cítricas, bebidas à base de frutas e refrigerantes;

  • Evitar alimentos salgados ou condimentados;

  • Oferecer alimentos moles que não exigem muita mastigação;

  • Lavar a boca com água morna após as refeições, pode enxaguar a boca com chazinho de malva bem diluído.

Como o médico identifica a doença?


O médico normalmente diagnostica a doença mão-pé-boca pelos sintomas, especialmente depois que as manchas vermelhas e bolhas aparecem no corpo.

Como o sintoma inicial muitas vezes é febre, é possível que de início ela seja confundida com outras viroses, e depois, com estomatites que também causam aftas na boca.


Como é feito o tratamento


Por se tratar de um quadro viral, é importante saber que VÍRUS só morre com duas coisas: CALOR E TEMPO. Portanto a febre é bem vinda durante a recuperação da criança. A febre deve ser conduzida e usada para matar o vírus. assista vídeo aqui

A doença  dura cerca de 7  a 10 dias e é importante que a criança não vá à escola ou à creche durante este período para não contaminar outras crianças. Então pode ser uma bela oportunidade para a família atualizar livrinhos de histórias infantis, filminhos e aconchegar seus pequenos com AMOR e CALOR.

Medicamentos  para a coceira, como anti-histamínicos, gel para as aftas,  podem ser prescritos e usadas.


Tenha calma, vai passar


A mão-pé-boca é uma doença da infância, crianças que estão frequentando creches e escolinhas estarão sim mais suscetíveis a contaminação.


Tome os cuidados necessários, faça a sua parte, compartilhe informações confiáveis com seus grupos de mamães, converse na escola de seu filho e se acontecer ou estiver acontecendo em sua casa, tenha calma, respire fundo e permita-se “ficar de molho” em casa com seu filho, dando CALOR & AMOR e logo logo sua rotina voltará ao normal e seu filho sairá fortalecido dessa experiência.


Lembre-se, “A Informação é o melhor remédio”.


Se você curtiu esse post, assine nossa newsletter: aqui


Siga nossas redes sociais

Posts em destaque
Recentes Posts
Procure por Tags
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

RESPONSÁVEL TÉCNICO:       dr. Juarez Furtado      CRM6573  - RQE 3454  - RQE  14313

ENDEREÇO

AV.  Cel Marcos Konder 1207 sl.69

CENTRO - ITAJAI -  SC - 88301303

CONTATO

Telefone     47 3349.2960

Whatsapp   47 99118.2661

© 2014 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS   SAUDE EM DIA S/S